CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

terça-feira, 25 de setembro de 2007

REDUÇÃO DA EMISSÃO DE GASES

Em reunião levada a cabo ontem, a União Europeia defendeu que as emissões de gases responsáveis pelo aquecimento global do planeta devem ser reduzidas. Até aqui tudo muito certo , esta reunião realizou-se em Nova Iorque ,cidade que pertence a um dos paises que mais contribui para a quantidade de gases emitidos para a atmosfera anualmente , e que se tem recusado sucessivamente a assinar o famoso tratado de kyoto. José Socrates que representou Portugal e a União Europeia , especificou que para que a temperatura média global do planeta não suba mais que 2ºC as emissões de gases devem ser reduzidas cerca de 50% abaixo dos niveis atingidos em 1990. A pergunta a fazer aqui é : Qual é a novidade desta conclusão ? eu respondo , nenhuma ! Esta tem sido uma necessidade que os cientistas tem denunciado vezes sem conta desde á não sei quantos anos e á qual a grande generalidade dos paises não tem ligado nenhuma . Entretanto vão fazendo estas reuniões para parecer que se está muito preocupado enquanto os relatórios dizem que as quantidades de gases emitidos aumentam anualmente. Está na hora de deixar de conversas, porque os governos sabem bem o que tem de fazer e passar á acção para que os nossos filhos possam viver num planeta saudável. È necessário que todos nós tenhamos consciência que também depende de nós obrigarmos os governos a tomar atitudes de defesa do planeta .


Eu Volto
JOY
25-09-2007

8 comentários:

António de Almeida disse...

-Amigo vamos por partes, a reunião decorreu em N.Y. apenas porque foi agendada no âmbito da ONU, que como se sabe tem lá a sede, e não tem nada que ver com os Estados Unidos, aliás só por essa razão o presidente do Irão pôde estar presente, tendo-lhe sido recusada autorização de visita ao "ground zero". Mas passemos ao que importa, não tem sido fácil conseguir consensos nesta matéria, e a culpa não será apenas dos EUA, embora as tenham, e muitas, aliás além de culpados ainda têm por lá os oportunistas, como é o caso de Al Gore, que para além de misturar umas quantas teorias por provar com outras mais que comprovadas, corre mundo enchendo os bolsos agora quando as suas acções não têm consequência, tenho pena que durante os 8 anos em que foi vice-presidente não tenha ractificado Kyoto, e nas tristemente célebres presidenciais 2000 esse tema não passou de levemente abordado. U.E., India, China, Brasil que para além de estar a poluir vai destruindo a Amazónia serão alvos menos mediáticos que os EUA, mas não menos nocivos à humanidade. Depois vem a questão dos países menos desenvolvidos que também têm direito ao progresso, entendamo-nos, nesta matéria por agora apenas se fala, fala, fala, mas pelos vistos ainda não chegou o tempo de acção... è pena que assim seja, independentemente do que ainda faltará provar sobre causa e efeito da poluição nas alterações climáticas, o problema não se esgota aí, temos muito mais a ganhar se existir vontade global.

SILÊNCIO CULPADO disse...

JOY
Apesar de te "conhecer" há pouco tempo, sinto um grande apreço pelos teus comentários sempre tão profundos e tão oportunos. Por isso, acabo de te atribuir, no meu blogue, o prémio VISITANTE, destinado a distinguir pela qualidade e pela assiduidade os comentaristas.
Gostaria que continuásses a corrente de forma a contribuir para o incentivo do comentário muitas vezes mais rico e profundo do que o próprio espaço onde se insere. Por esta partilha e solidariedade uma grande abraço

Quint disse...

Gostei do que li. Parabéns. Continue.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Não sei para que é que os políticos falam tanto se fazem tão pouco. Ou melhor, sei mas prefiro não saber. É que me dá vómitos. Portugal excedeu o limite de emissões de CO2 previsto no protocolo de Quioto. E um dos factores que contribuiu, de forma decisiva, tem a ver com uma rede de transportes ineficaz que empurra para a utilização excessiva dos veículos rodoviários de mercadorias e passageiros incluindo nestes últimos os transportes individuais e colectivos. As externalidades negativas geradas pelos transportes (poluição, acidentes, ocupações de espaço, etc) são bastante diferentes de modo de transporte para modo de transporte. Sabias, por exemplo que a diferença, anual, de externalidades entre o modo rodoviário e o ferroviário representa qualquer coisa como o orçamento anual do Ministério da Educação e da Saúde os dois juntos? Isto para não falar nas indústrias. Que medidas estão a ser tomadas para inverter a situação?

SILÊNCIO CULPADO disse...

Bom, e ainda há mais. Já viste a lixeira em que se transformaram quase todas as freguesias da área metropolitana de Lisboa?

NINHO DE CUCO disse...

A poluição está a tomar conta do mundo não só ao nível das emissões de CO2 mas também a nível de ideias e comportamentos. Contudo, e é com grande satisfação, que constato que há muitos blogues com críticas construtivas, de grande qualidade e altamente civilizados. Este é um deles.

NÓMADA disse...

Um texto de grande qualidade e que revela uma grande consciência cívica. São estes contributos que nos animam para continuarmos em frente esperando à espera de melhores dias.

Joana disse...

Obrigada pela visita :)
Vou voltar cá com mais tempo para ler o teu blog!
Um beijo